segunda-feira, 7 de maio de 2012

Infinito

É estranho quando nos apercebemos da nossa vulnerabilidade enquanto seres humanos. Porque é que vivemos se temos de morrer? Acredito no infinito, mas não me imagino a "viver" infinitamente no vazio. É triste quando nos apercebemos que estamos condenados a pensar demasiado no sentido da vida e no que é a morte. No que existe depois, se é que isso existe... E assim, apercebo-me que vivo mais na minha cabeça do que na minha vida real. E vivo questionando essa mesma realidade.. Começo, da mesma forma, a notar que é a solidão que me assusta. Se temos de morrer sozinhos, teremos de "viver" infinitamente sós após a nossa morte, mesmo indo para onde todos vão? É estúpido tentar imaginar-nos sem qualquer consciência.. Acredito no infinito e, embora querendo viver para sempre, não quero "viver" para sempre no vazio do infinito..